Autor: Ed Rodrigues

Web Designer e designer gráfico workaholic. Apaixonado por cinema e ficção científica, colecionador de filmes, fã de Kubrick, Nolan e Tarantino e fundador desse site aí. Acompanhe minhas análises de filmes, toda semana terá 2 ou 3 filmes novos, uns bostas outros espetaculares, assim terá uma prévia antes de comprar seu ingresso ou perder seu tempo vendo no Netflix.
Moda

Pernas desenhadas sem tatuagens

18 de outubro de 2017
Pernas desenhadas sem tatuagens

As meia-calças pintadas à mão da Tattoo Tights simulam pernas tatuadas. Com modelos modernos, geométricos, clássicos, vintages, fofos ou extravagantes, os designers do TattooSocks selecionaram criações de artistas variados, portanto, você pode escolher o estilo que quiser de acordo com a sua personalidade ou seu humor.

As meias tatuadas estão disponíveis na loja Etsy.

Pernas desenhadas sem tatuagensPernas desenhadas sem tatuagensPernas desenhadas sem tatuagensPernas desenhadas sem tatuagensPernas desenhadas sem tatuagensPernas desenhadas sem tatuagensPernas desenhadas sem tatuagensPernas desenhadas sem tatuagensPernas desenhadas sem tatuagensPernas desenhadas sem tatuagensPernas desenhadas sem tatuagensPernas desenhadas sem tatuagensPernas desenhadas sem tatuagensPernas desenhadas sem tatuagensPernas desenhadas sem tatuagensPernas desenhadas sem tatuagens

Arquitetura

Uma casa geométrica construída no deserto e a partir de containers

Uma casa geométrica construída no deserto e a partir de containers

A Joshua Tree Residence é uma bela casa de containers construída no deserto da Califórnia. Projetada pelos arquitetos do estúdio Whitaker, essa incrível criação homenageia a árvore Joshua, que é encontrada apenas nos desertos da Califórnia, Arizona, Utah e Nevada. A Joshua Tree Residence foi projetada para tirar o máximo proveito da luz natural, minimizar os efeitos do calor do deserto e suas formas geométricas oferecem excelentes espaços de convivência e privacidade. Uma criação incrível.

Uma casa geométrica construída no deserto e a partir de containers
Uma casa geométrica construída no deserto e a partir de containers
Uma casa geométrica construída no deserto e a partir de containers
Uma casa geométrica construída no deserto e a partir de containers
Uma casa geométrica construída no deserto e a partir de containers
Uma casa geométrica construída no deserto e a partir de containers
Uma casa geométrica construída no deserto e a partir de containers
Uma casa geométrica construída no deserto e a partir de containers
Uma casa geométrica construída no deserto e a partir de containers
Uma casa geométrica construída no deserto e a partir de containers
Uma casa geométrica construída no deserto e a partir de containers
Uma casa geométrica construída no deserto e a partir de containers
Uma casa geométrica construída no deserto e a partir de containers
Uma casa geométrica construída no deserto e a partir de containers
Uma casa geométrica construída no deserto e a partir de containers
Uma casa geométrica construída no deserto e a partir de containers
Uma casa geométrica construída no deserto e a partir de containers
Uma casa geométrica construída no deserto e a partir de containers
Uma casa geométrica construída no deserto e a partir de containers
Uma casa geométrica construída no deserto e a partir de containers
Smartphones

Moto X4 chega ao Brasil custando menos do que o esperado

Moto X4 chega ao Brasil custando menos do que o esperado

A Motorola aproveitou o começo desta quarta-feira (18) para anunciar a chegada oficial do Moto X4 ao Brasil. O aparelho agora apresenta duas câmeras traseiras, corpo em vidro dos dois lados e deixa de ser o flagship da marca. Nesta versão, ele é apenas um intermediário com nome conhecido e custando menos do que o esperado.

Um espaço entre as linhas Z e G

Ao primeiro olhar, o Moto X4 deixa claro que não faz parte do pensamento de modularidade que permeia a linha Z. Não há pinos e nem imãs na parte inferior, deixando claro que os Moto Snaps são exclusivos dos Moto Z, que também contam com um modelo intermediário, o Moto Z2 Play. Além de não ter os conectores, a traseira é mais arredondada, em um formato que lembra, de longe, as curvas nas bordas de smartphones mais recentes da linha Galaxy S.

O grande trunfo do Moto X4 sequer é o design, mas sim a capacidade de tirar fotos com as duas lentes que estão na traseira. Ele não é o primeiro celular da Motorola que utiliza esse recurso, mas a marca colocou uma função única neste aparelho: uma das lentes faz fotos e vídeos em grande angular, numa forma que lembra bastante as câmeras GoPro.

Além de distorcer o horizonte para os 120 graus de visão, as câmeras são capazes de, juntas, entregarem o efeito buquê de fundo embaçado. Ele ficou famoso no iPhone 7 Plus e seu modo retrato. Porém, diferente de como a Apple faz isso, a Motorola seguiu os passos da Samsung e permite você editar o arquivo fotografado depois da imagem ser registrada. Dá pra alterar a quantidade de fundo desfocado e até mesmo trocar o foco, deixando o objeto da frente embaçado e manter o fundo nítido.

O hardware do Moto X4 é o seguinte:

  • Processador Snapdragon 630 octa-core de 2.2 GHz
  • Tela IPS LCD 5.2 polegadas Full HD
  • GPU Adreno 508
  • 3 GB de memória RAM
  • 32 GB de espaço interno
  • Câmeras traseiras de 12 e 8 MP, com aberturas de f/2.0 e f/2.2 respectivamente
  • Câmera frontal de 16 MP
  • Certificação IP68
  • Bateria de 3.000 mAh (com Quick Charge)
  • Android 7.1.1 Nougat

No software há algumas melhorias pontuais e novidades que chamam atenção. Ele continua com o Android puro, numa sensação de estar usando algum Pixel, da própria Google. Por outro lado, o Moto X4 vem com pontos extras bastante interessantes. O primeiro é o Moto Key, que serve como gerenciador de senhas que funciona no smartphone e também no computador. Além dele, os atalhos para abrir a câmera e ligar a lanterna ao girar o pulso continuam por aqui, com a adição de outro atalho: capturar a tela. Para um screenshot, é só colocar três dedos na tela e pronto.

Preço e disponibilidade

O Moto X4 chega ao Brasil nas cores preta e topázio custando R$ 1.699. As vendas começam hoje em todo o varejo e também nas operadoras.

Tecnologia

HP anuncia o notebook 2-em-1 mais poderoso do mundo

HP anuncia o notebook 2-em-1 mais poderoso do mundo

A HP revelou nesta quarta-feira, 18, uma opção para quem necessita do máximo de poder computacional em um formato de notebook com tela destacável. Revelado durante uma conferência da Adobe em Las Vegas, o ZBook x2 é o primeiro workstation a adotar esse formato.

Ele vai ser lançado em dezembro por US$ 1.750 (cerca de R$ 5,5 mil). O preço não é acessível, mas o produto também não é para qualquer um, voltado para o profissional que depende do formato móvel, mas também precisa de alto poder de processamento e capacidades gráficas.

O modelo mais avançado traz um processador Intel Core i7 de 8ª geração, uma tela 4K de 14 polegadas, uma GPU Quadro M620, 32 GB de memória RAM e 2 TB de armazenamento SSD M.2. Para completar, o computador também dá de brinde 20% de desconto em um ano de assinatura do pacote Creative Cloud da Adobe.

É notável também que o ZBook x2 é que ele não poupa conexões. Enquanto laptops e tablets mais modernos economizam em portas e entradas, híbrido da HP tem dois conectores USB-C compatíveis com Thunderbolt 3, uma entrada USB 3.0 mais tradicional, entrada para cartão de memória SD, entrada para fones de ouvido e uma porta HDMI.

Como o produto é pensado nos profissionais, o conversível também é acompanhado com uma caneta, a Wacom EMR, que inclui 4.096 de níveis de sensibilidade a pressão. Completando as especificações, o aparelho também conta com bateria para 10 horas de uso com uma recarga completa, o que é surpreendente para o nível dos componentes dentro da máquina.

Fotografia

Adeus Lightroom 6 – Seja bem vindo Lightroom Classic CC

Adeus Lightroom 6 – Seja bem vindo Lightroom Classic CC

A Adobe está colocando em curso uma grande mudança na forma que gerencia e oferece para o público de fotógrafos um de seus principais produtos. O Lightroom, lançado já há mais de 10 anos (caraca) foi um divisor de águas. Para quem trabalha com um grande fluxo de imagens ele trouxe, além de grandes ferramentas de edição, uma forma interessante de organizar uma grande quantidade de fotos em um banco de dados que chamamos de catálogo. É fácil criar tags, acrescentar informações ao exif, classificar fotos com zilhões de possibilidade e ter tudo à sua mão em coleções temáticas que vão além das divisões físicas de pastas em seu HD.

Quando a Abobe lançou a versão 6 do Lightroom, a empresa também colocou no mercado a versão CC (Creative Cloud) do software. Agora o usuário poderia pagar pela versão online uma assinatura mensal e ter um software sempre atualizado. Eu achei interessante. Ferramentas poderiam ser adicionadas há qualquer momento sem a necessidade de comprar uma nova versão. A propaganda da Adobe era que você começaria a pagar agora e ao fim da assinatura de 12 meses você poderia ter um software completamente diferente e mais potente.

Adeus Lightroom 6 – Seja bem vindo Lightroom Classic CC
Adeus Lightroom 6 – Seja bem vindo Lightroom Classic CC

Agora a Adobe vai fazer mais uma grande mudança. O Lightroom 6 está morto e enterrado. Não serão mais lançadas versões fechadas para venda do programa. A última atualização que o software vai receber diz respeito a trabalhar com arquivos da nova NIkon D850. Depois disso acabou. Se você comprou o programa não vai poder trabalhar com câmeras lançadas desta data em diante. E agora temos duas versões CC do software. O Lightroom Classic CC é o programa que conhecemos, só que agora com um nome diferente. Ele continua praticamente o mesmo, mas ganhou algumas pequenas novas ferramentas no painel de revelação e, segundo quem já testou a versão beta, um ganho incrível de velocidade durante o processamento. Essa parte muito nos interessa, pois os problemas de velocidade do programa eram bem conhecidos de todos que trabalham com ele.

Fora o Lightroom Classic CC também teremos uma nova plataforma chamada Lightroom CC que vai trabalhar totalmente na nuvem. Tanto suas fotos quando a organização delas não acontece mais no seu HD e sim nos servidores da Adobe. O modo biblioteca é um pouco mais simplificado, mas possui modos de pesquisa bem poderosos. A vantagem da nova plataforma é que você pode acessar suas fotos em qualquer lugar utilizando qualquer dispositivo. Uma facilidade para quem quer tudo sempre à mão. Não sei bem se vai ser uma vantagem para quem gerencia uma quantidade absolutamente gigantesca de fotos, pois o modo Biblioteca é uma ferramenta que não abro mão no programa.

Uma diferença interessante entre essas duas versões do Lightroom é quanto à pesquisa de imagens. Na versão desktop (Classic) você precisa criar tags na imagem para que a pesquisa seja eficiente. Ou seja, em uma foto de uma montanha eu tenho que colocar a tag montanha para pesquisar o termo depois. No Lightroom CC o mecanismo de pesquisa é o Adobe Sensei baseado em tecnologia de inteligência artificial. A Adobe garante que, ao pesquisar a palavra montanha o software vai achar todas as fotos que contenham uma montanha sem a necessidade de tags. Ele está programado para reconhecer o que está sendo representado na imagem. Curioso para ver se isso funciona mesmo.

Adeus Lightroom 6 – Seja bem vindo Lightroom Classic CC
Adeus Lightroom 6 – Seja bem vindo Lightroom Classic CC

O Photoshop CC também passou por uma repaginada e teve vários novos recursos inseridos no programa. Entre eles está o suporte ao formato HEIF da Apple, introduzido no iOS 11 e o MacOS High Sierra, novo suporte de edições panorâmicas em 360º esférico e seleção de máscaras mais fáceis. O Photoshop CC agora também possuí uma ferramenta completa de ensino para quem está iniciando na edição. São pequenos tutoriais e exercícios monitorados com imagens de exemplos e GIFs animados que ensinam os principais procedimentos de edição.

A página da Adobe no Brasil já foi atualizada com os novos programas e planos. Você pode assinar o Plano de Fotografia com o Photoshop CC, Lightroom CC e Lightroom Classic CC com 20GB de espaço de armazenamento em nuvem por R$ 35,00 por mês. O plano com 1TB de armazenamento sai por R$ 71,00 por mês. E você também pode assinar apenas o plano com o Lightroom CC com 1TB de espaço de armazenamento em nuvem por R$ 35,00 por mês.

O pessoal do fstoppers teve acesso à nova versão do Lightroom antes do lançamento (que aconteceu hoje) e garante que o programa está realmente muito mais rápido.

Mais informações entre as diferenças entre as duas plataformas do Lightroom podem ser encontradas neste vídeo explicativo da Adobe.

Publicidade

20 anos depois, Skol resgata as origens do “Desce Redondo” (mas adaptado para os novos tempos)

Em sua campanha de verão, marca vai estrear 8 comerciais baseados no clássico “Raio-X” de 1997

O posicionamento “Desce Redondo” de Skol completa 20 anos em 2017. Nesse período, responsável pela sedimentação de uma lovebrand brasileira, a assinatura passou por inúmeras interpretações como forma de evoluir a própria essência da marca.

No último ano aconteceu a mudança mais significativa. Skol transcendeu seu passado – em grande parte formado por humor sexista e rasteiro – para abraçar a diversidade e a inclusão. Grandes exemplos são as iniciativas “#RespeitoIsOn”“Viva a Diferença” e “Redondo é sair do seu quadrado”.

Agora, em sua nova campanha de verão (que é o Super Bowl brasileiro das cervejas), a marca continua nesse caminho, mas pretende iniciar o debate com bom humor e leveza. Com o comercial “Mãe” – assista acima – Skol resgata o “Desce Redondo” para falar de preconceitos. Comentários ofensivos, que são quadrados e afastam as pessoas, são trocados por uma atitude redonda.

A situação é ilustrada da mesma maneira que no filme “Raio-X” de 1997, responsável por inaugurar o “Desce Redondo”, representando as diferentes opções na garganta dos personagens.

Essa é só a primeira parte de uma nova campanha que vai contar com 8 comerciais. Todos eles são frutos de insights gerados por uma pesquisa da empresa – feita em parceria com o Ibope – que identificou quais os comentários mais quadrados (considerados ofensivos) que o brasileiro ouve.

Assim como nos últimos 20 anos, a criação é, mais uma vez, da F/Nazca Saatchi & Saatchi. A produção é da Prodigo Films.

//CRÉDITOS
AGÊNCIA: F/Nazca Saatchi & Saatchi
CLIENTE: Ambev
PRODUTO: Skol
DURAÇÃO: 30”
TÍTULO: Mãe
DIREÇÃO GERAL DE CRIAÇÃO: Fabio Fernandes
DIREÇÃO DE CRIAÇÃO: Toni Fernandes | Leonardo Claret
CRIAÇÃO: Fabio Fernandes | Toni Fernandes | Leonardo Claret
ATENDIMENTO:  Ricardo Forli | Thiago Iusim | Marcela Paiva | Beatriz Almonacid | Luiz Gama | Tathiana Sacco
MÍDIA: Mauricio Almeida | Thiago Custódio | Amaury Magalhães | Eric Zanelli | Juliana Roque | Gustavo Masson | Marina Signori
PLANEJAMENTO: Rita Almeida | Danilo Lima | Quentin Mahe
RTVC: Elucieli Nascimento | Fernanda Sousa | Rafael Paes | Victor Alloza
PRODUTORA: Prodigo Films
DIREÇÃO DE CENA: André Godoi
DIREÇÃO DE ARTE DE CENA: Claudio Amaral Peixoto
PRODUÇÃO EXECUTIVA: Francesco Civita | Chico Pedreira | Vivian Sader
DIRETOR DE FOTOGRAFIA: Ralph Strelow
MONTAGEM: André Dias | AMC e Kauê Kabrera| AMC
FINALIZAÇÃO: Prodigo Films / Clan VFX
PRODUÇÃO DE SOM E TRILHA: Tesis
MAESTRO: Silvio Piesco | Marcos Vaz
LOCUTOR: Odayr Baptista
APROVAÇÃO CLIENTE: Paula Lindenberg | Maria Fernanda Albuquerque | Daniel Feitoza

Redes Sociais

Campanha no Twitter encoraja os homens a falar o que podem fazer para acabar com o assédio às mulheres

Campanha no Twitter encoraja os homens a falar o que podem fazer para acabar com o assédio às mulheres

Alguns dias atrás, a hashtag #MeToo inundou o Twitter. Impulsionada pelo escândalo envolvendo o produtor Harvey Weinstein, mulheres ficaram encorajadas a compartilhar suas experiências com assédio. Agora, os homens também entraram na campanha para tentar acabar com o o abuso contra as mulheres com a hashtag #HowIWillChange.

Criada pelo escritor Benjamin Law, a campanha quer mostrar como o sexo masculino pode contribuir para combater a cultura do assédio. Entre as medidas sugeridas por Law está em ser menos passivo quando identificar uma mulher sendo assediada.

Logo o #HowIWillChange ganhou o Twitter e outros homens também compartilharam as mudanças que podem fazer para tentar acabar com o abuso às mulheres.

Ações no Twitter são legais para chamar a atenção. Porém, a mudança só será efetiva se conseguirmos passar elas do mundo virtual para o real. Do jeito que anda algumas respostas no Twitter, o caminho ainda será longo.

Publicidade

Novo mega telão de Londres sabe informações de quem passa por ele

Novo mega telão de Londres

Após meses de reforma, Piccadilly Circus ganhou câmeras que analisam veículos e pessoas para exibir anúncios pré-programados voltados para o perfil de cada um

Não é só o tamanho de mais de 600 metros quadrados que chama a atenção do novo telão instalado no tradicional Piccadilly Circus, em Londres, que estava desligado para reformas desde o início do ano. A tela de LED digital impressiona por se direcionar de forma individual aos pedestres e motoristas que passam pelo local, oferecendo anúncios personalizados para cada um.

Picadilly Lights é dividido em seis telas com anúncios diferentes. As câmeras incorporadas analisam os veículos que se aproximam avaliando a marca, modelo e cor do carro. Com o resultado, fornecem anúncios pré-programados voltados para a pessoa cujo perfil estaria comandando o automóvel.

 

A mesma avaliação acontece com os os pedestres que passam pelo local, que são analisados através de gênero, faixa etária e até mesmo emoções de acordo com suas expressões faciais. A partir daí, as propagandas entregues a eles também são personalizadas.

O projeto é da empresa Landsec, que afirma que esse tipo de inovação já nem é tão “novo assim”, com outras cidades como Tóquio utilizando métodos semelhantes para distribuir suas propagandas.

A possibilidade de vincular anúncios em redes sociais e smartphones a partir da segmentação conseguida nesses painéis ainda gera uma “perseguição” aos consumidores por mais tempo, criando uma espiral de vendas um tanto desconfortável para muitas pessoas.

Entre as marcas já presentes no novo Piccadilly Lights temos Coca-ColaHyundaiSamsung e L’Oreal.

Tecnologia

Apple lidera mais uma vez ranking das 10 marcas mais valiosas do mundo em 2017

6 de outubro de 2017
Apple lidera mais uma vez ranking das 10 marcas mais valiosas do mundo em 2017

Relatório divulgado pela Interbrand mostra quais são as 10 marcas mais valiosas do mundo em 2017. O ranking não trouxe grandes surpresas, com a Apple encabeçando a lista pelo quinto ano consecutivo.

Em segundo lugar aparece o Google, com uma ligeira queda na diferença para a primeira colocada. O relatório indica, ainda, que nove das dez principais marcas do ano passado permanecem no Top 10 deste ano. Quem deixou de figurar entre elas foi a GE, que ocupa agora a 11ª posição, apesar de um aumento de 3% no valor de mercado. Microsoft (+ 10%) e Coca-Cola (-5%) continuaram a se mover em direções opostas, com a Microsoft assumindo o 3º lugar.

Outro movimento notável dentro do top 10 foi da Amazon: com aumento de 29% no valor de marca, ela escalou três posições para chegar ao top 5 pela primeira vez. Junto com o Facebook, a Amazon teve os maiores ganhos em valor de marca entre os 10 primeiros colocados.

Algumas outras marcas também experimentaram aumento de dois dígitos: Microsoft (+ 10%); e Mercedes-Benz (+ 10%). Três das 10 principais marcas, em contrapartida, viram seus valores diminuírem: Coca-Cola (- 5%, ocupando o 4º lugar); Toyota (- 6%; ocupando o 7º lugar); e IBM (-11%; ocupando o 10 º lugar).

Enquanto isso, as novidades das 100 melhores marcas deste ano foram: Netflix (78º lugar); Salesforce (84º lugar); e Ferrari (88º lugar).

Ao determinar as 100 marcas mais valiosas do mundo a cada ano, a Interbrand considera três aspectos principais para formar o ranking: o desempenho financeiro do produto e serviço; o papel que a marca desempenha em influenciar a escolha do cliente; e a força que a marca tem na definição de um preço premium e na conquista de ganhos seguros para a empresa.

Confira abaixo o Top 10 atualizado:

1 Apple
2 Google
3 Microsoft
4 Coca-Cola
5 Amazon
6 Samsung
7 Toyota
8 Facebook
9 Mercedes-Benz
10 IBM

Com informações do portal Marketing Charts.

Publicidade

Burger King usa “It: A Coisa” para fazer piada com McDonald’s: “Nunca confie em um palhaço”

Desde a sua estreia, o filme “It – A Coisa” tem levado um grande público aos cinemas para conferir o remake da obra de Stephen King. Aproveitando esse sucesso, o Burger King criou uma campanha especialmente para entrar no lugar dos créditos ao final o filme.

A campanha foi utilizada ao final da estreia de “It” em alguns cinemas da Alemanha. Intitulada de “Never Trust a Clown”, a mensagem foi projetada logo após o termino do filme: “Moral da história: nunca confie em um palhaço”, em clara alusão ao ícone do seu maior concorrente, o McDonald’se seu palhaço Ronald. A criação é da Grabarz & Partner.

A brincadeira é do Burger King na Alemanha certamente deve incomodar os mais cinéfilos, pela intervenção no filme, que transforma um final que era pra ser emotivo em piada. Porém, é bem mais criativo do que o acontecido na Rússia. O Burger King do país emitiu uma queixa formal pedindo que o filme ‘It” fosse banido dos cinemas locais, alegando que o palhaço Pennywise se assemelha com o Ronald McDonald e, portanto, o filme serviria como uma propaganda do McDonald’s.

Obviamente a reclamação não deu em nada.

Tecnologia

Cidade americana vai mudar seu nome para “Amazon” caso receba nova sede da empresa

Cidade americana vai mudar seu nome para “Amazon” caso receba nova sede da empresa

Há algumas semanas a Amazon abriu uma espécie de concorrência para cidades americanas. A empresa quer que cidades se candidatem para receber sua próxima sede, o que deve trazer cerca de 50 mil empregos para a região. E esta semana uma cidade conseguiu fazer sua candidatura ficar um pouco mais conhecida e talvez até mais atraente.

A cidade de Stonecrest, no estado americano de Georgia, sugeriu que se a Amazon a escolher como o local para seu mais novo QG, ela se renomeará para… Amazon. Essa escolha foi aprovada pelo conselho de dirigentes da cidade, que teve 4 votos a favor e 2 contra. O prefeito concordou, dizendo que “nenhuma outra cidade oferece a oportunidade de branding que nós estamos oferecendo a essa empresa visionária”.

Para fazer a mudança, a cidade vai ter que desanexar do seu território cerca de 345 acres de terra, ou 1,3 milhões de metros quadrados. Uma área até relativamente pequena considerando que o que a cidade deve ganhar de investimento. E de propaganda gratuita.