Blog updates

Latest news & updates
Blog

Análise de Ben-Hur

10 de setembro de 2016
Ben Hur

Sim, achei maravilhoso o filme e não vou comparar com o filme clássico porque não assisti. Veja a análise de Ben-Hur.

Análise de Ben-Hur
Análise de Ben-Hur

É a história épica de Judah Ben-Hur, um príncipe falsamente acusado de traição por seu irmão adotivo Messala, um oficial do exército romano. Destituído de seu título, afastado de sua família e da mulher amada, Judah é forçado à escravidão. Depois de muitos anos no mar, Judah retorna à sua pátria em busca de vingança, mas encontra a redenção.

Vi muitas críticas comparando ao filme clássico (ganhador de 11 Oscar e interpretado por astro dos cinemas daquele tempo, Charlton Heston), foi sem dúvidas um grande sucesso. Ao contrário do clássico o remake sequer chegou aos pés do grande sucesso, mas a pergunta que não quer calar, é melhor que o antigo? Os críticos que assistiram o clássico falam que o remake é muito ruim e estão sempre comparando com o clássico. A minha visão é de quem não assistiu o anterior, então a minha análise é inteiramente para esse filme e não vou comparar a nada.

Na minha visão é um ótimo filme e tem um excelente roteiro, prendeu minha atenção do início ao fim, a construção dos personagens e seus relacionamentos dos irmãos Judah Ben-Hur e Messala Severus ficou ótima, era um relacionamento de irmãos que se amam, mas a obsessão do Messala achar eu não faz parte daquela família judia por ser irmão adotivo de sangue romano foi maior e se uniu ao exército romano e voltou como um grande traidor por se sentir traído.

A seguir temos o segundo ato com o Ben-Hur se tornando escravo por anos e é uma cena que achei muito boa que em segundos temos a mudança de anos e os escravo estando naquela mesma posição fazendo a mesma coisa por anos e em seguida vemos uma guerra entre romanos e gregos. É rápida e só temos a visão dos escravos no navio, mas foi maravilhoso com uma escolha certa de cores e os efeitos também estão ótimos.

Análise de Ben-Hur
Análise de Ben-Hur

No último temos a melhor parte do filme, a corrida de bigas. Sem dúvidas é uma cena que te deixa a apreensivo e também uma bela cena de ação, cada etnia correndo para decidir que é o melhor e ainda ser uma corrida mortal fez de uma corrida ser a corrida.

Não temos um elenco forte, mas o Morgan Freeman fez um bom papel, mas meu maior destaque é do Toby Kebbell interpretando o Messala, achei um ótimo personagem, até melhor que o Ben-Hur. Jack Huston fez um bom personagem, mas nada que fuja da normalidade e o Rodrigo Santoro para mim mesmo sendo o Jesus que aparece em poucas cenas, achei que fez muito bem seu papel, seu rosto me trouxe realmente a bondade de Jesus.

O final foi do caralho e surpreendente para mim, o filme se tornou uma história um tanto religiosa onde a bondade de Jesus é contagiosa e sempre será o melhor caminho. #choreimesmonofinal

Minha nota é 5 de 5. Espero que goste da minha análise de Ben-Hur, curta, comente e compartilhe essa postagem e até mais.

 

Ed Rodrigues
Web Designer e designer gráfico workaholic. Apaixonado por cinema e ficção científica, colecionador de filmes, fã de Kubrick, Nolan e Tarantino e fundador desse site aí. Acompanhe minhas análises de filmes, toda semana terá 2 ou 3 filmes novos, uns bostas outros espetaculares, assim terá uma prévia antes de comprar seu ingresso ou perder seu tempo vendo no Netflix.

Write a Comment